[ editar artigo]

Crônica sobre 2019

Crônica sobre 2019

Eu li num soneto de amor que as lágrimas que tu não chora se escondem num rio dentro de tu. E isso, me deu uma puta vontade de escrever sobre o ano de 2019, um ano, provavelmente, de mais  erros que acertos.

A ótica que quero trazer é de que: 

Os aprendizados são provenientes dos erros.
Então, acertos são boas conquistas mas erros na realidade são aprendizados. 

Pensando assim e no último ciclo pude tirar algumas poucas conclusões: 

  • Trabalhar com causas e em prol do impacto positivo é o que me importa e faz feliz.

  • Vale lembrar que nessa busca a primeira causa sempre será a minha. Para que eu possa me nutrir, cuidar dos próximos a mim e assim poder estar com coração e mente fortes para planejar estratégias e projetos que gerem impacto em larga escala. 

  • Sobre ser continente.
    Me sinto na busca para poder oferecer a proteção que tanto procuro no outro. O erro que gera aprendizado é focado em como devemos estar prontos para querer mais aprender do ensinar. 

- Como estar consciente:

Acima da nuvem e maremoto das emoções que nos distraem do foco que acredito ser estarmos presentes em nossas próprias existências. Não vejo como ser ou estar presente na vida do outro sem que a sua consciência esteja realmente presente nos seus atos.  

- Como ser cais:

Saber a hora certa de chegar e partir.
Estar pronto para voltar n importa quando. 

Meus braços podem ser cais para quem se ama.

Cais noturnos ou diurnos, não importa nesse caso. 

Para quem quer se soltar.

O texto que me trouxe luz para essa afirmação foi publicado na revista piauí na edição 154 de julho de 2019.

Vou trazer alguns trechos: 

SOBRE O QUE SER 

“A descentralização é a palavra chave 

Elas tem arquitetura modular, cooperativa e distribuída, sem centros de comando, capaz de suportar perfeitamente  predições catastróficas e repetidas. 

O que importa para elas não é tanto responder rápido, mas responder bem, de forma a resolver problemas. Animais respondem às mais diversas tensões utilizando sempre a mesma solução, numa espécie é de moldura para enfrentar qualquer emergência. 

Essa reação milagrosa tem um nome: Movimento.
Uma resposta poderosa, como um triunfo que resolve tudo. 

 

SOBRE A NATUREZA

É o caso dos exames de insetos ou dos bandos de  pássaros, que, em interações relativamente simples, parecem agir como organismos únicos. 

Descobrimos assim que como uma colônia de formigas, os ápices das raízes agem todos juntos, minimizando o distúrbio decorrente de flutuações locais. 

Além disso, essa capacidade, devido a organização distribuída e a ausência de níveis hierárquicos, é tão eficaz que está presente em quase toda parte na natureza, incluindo inúmeras manifestações do comportamento humano.  

 

SOBRE COMO NOSSA HISTÓRIA JUSTIFICA O ARGUMENTO.

E se alguém que eles não consideram um especialista tenta dar conselhos, mesmo que seja belo, rico e nobre, não lhe darão atenção mas riem e assobiam na cara dele, até que pare espontaneamente de tentar dar conselhos. 

Mais uma vez, nossos olhos só veem o que parece ser semelhante a nós  e ignoramos tudo o que é diferente de nós. 

Na natureza, grandes organizações distribuídas, sem centros de controle, são  sempre mais eficientes. 

... as decisões tomadas por um grande número de indivíduos são quase sempre melhores que as adotadas por poucos. 

Resumindo, a participação na tomada de decisão é o sistema que a evolução mais recompensa; as escolhas de grupo respondem melhor às necessidades da maioria dos membros da comunidade, até mesmo em relação àquelas de  um “líder esclarecido”. Como escrevem Conradr e Roper:
“As decisões democráticas são mais benéficas para o grupo, pois tendem a produzir decisões menos extremas” 

Na natureza, tomar decisões compartilhadas é a melhor garantia para resolver corretamente problemas complexos. 

 

SOBRE O PRESENTE/FUTURO

Grupos mais inteligentes do que os indivíduos mais inteligentes que os compoe. 

… a comunicação pela  internet, com mensagens deixadas pelos usuários em um ambiente compartilhado, lembro muito esse método de comunicação (google drive & dropbox). 

Grupos interligados de pessoas e computadores ja estão gerando novas possibilidades no mais diversos campos: a escrita de códigos de software, a solução de problemas de engenharia, a identificação de pessoas que mentem, a criação de enciclopédias.
A wikipédia responde dando uma prévia do que as organizações vegetais poderão fazer, mas é apenas um começo. 

Embora cada um de nós acredite que decisões ponderadas racionalmente - tomadas após ter examinado todas as informações disponíveis e avaliar todos os prós e contras - são as melhores porque garantem maior probabilidade de se alcançar o resultado esperado, na realidade, a maioria das decisões depende de regras diferentes. Não irracionais, mas de uma racionalidade diferente daquela que santificamos todos os dias idealizando o pensamento lógico; a racionalidade que partilhamos com as plantas, frutos da experiência evolutiva,  e não do escrutínio cuidado do glorioso córtex cerebral. 

O Futuro precisa tomar para si a metáfora das plantas e entender o poder da inteligencia  coletiva. 

Pode parecer um paradoxo, mas no futuro próximo termos que nos inspirar nas plantas para começarmos a nos mover . "

O belo texto chama se Democracias Verdes do autor italiano Stefano Mancuso.
(https://piaui.folha.uol.com.br/materia/democracias-verdes/)

O que aprendi sobre maturidade e aprendizado tem conexão com olhar para o desenvolvimento da natureza para que possamos pensar no desenvolvimento sustentável e/ou regenerativo que tanto falamos e ouvimos. 

Cada vez mais acredito que a realidade é algo puramente mental que a mesmíssima matéria que cria a realidade é aquela que cria nossos sonhos.
Se pudesse dar um exemplo, seria algo como não apenas sorrir com a boca, mas sim sorrir com o corpo inteiro. 

Muitas vezes nos sentimos perdidos em nosso caleidoscópio mental e após enfrentar de mente aberta e corpo são esse labirinto te digo. 

Precisamos construir de dentro para fora, a nutrição que tanto procuramos está fluindo nesse rio escondido dentro da gente. 

  

Que venha 2020
Que venha 2100
Que venha 2.000 e SEMPRE!

Supremamente
Renan Uga França
Renan Uga França Seguir

Estruturando projetos, tecendo redes, sempre buscando impacto positivo! #Social #Esporte #Cultura #Sustentabilidade #ODS

Ler conteúdo completo
Indicados para você