[ editar artigo]

O Impacto do Kung Fu na minha vida

O Impacto do Kung Fu na minha vida

No ano de 2012 fui convidado a praticar Kung Fu pela primeira vez e por 6 meses consegui. Comecei frequentando duas vezes por semana e, quando entrou as férias, cheguei a ir incríveis 5 dias por semana. Entretanto, devido a conflitos de horários e deslocamento, parei a prática e foquei na faculdade.

O tempo passou e eu sempre mantive a intenção de voltar, mas infelizmente a distância da minha casa para o Wu Guan não tinha se tornado menor. Em 2018, eu passei por uma situação que me despertou novamente para essa vontade, quase que um compromisso esquecido, de voltar a praticar. Já morando em outro bairro, Recreio, busquei por locais onde poderia aprender e praticar o Kung Fu, e foi nesse momento em que eu encontrei o Instituto Wulindao.

Despretensiosamente, passei a aprender um estilo, a prática do Qi Gong e o Sanda. Fiquei encantado com a integração e o propósito de cada ensinamento no seu contexto e o reflexo no todo. Aos poucos, sem perceber, voltei a redescobrir partes de mim que ficaram esquecidas em meio a rotina. Pude relembrar o porquê aqueles 6 meses de prática tinham sido tão marcantes a ponto de 6 anos depois ainda me motivar a buscar.

Dessa forma, eu notei melhor humor na minha rotina e mais perspectiva para lidar com as situações difíceis. Também ganhei mais energia para atingir objetivos adormecidos sob a justificativa de falta de tempo. Todavia, ainda mais importante, o Kung Fu me ensinou novamente a lição de que o aprendizado é constante e somente eu sou responsável por isso. Com isso, passei a ter uma vida muito mais satisfatória, na medida em que percebo que realizo progressos no que realmente é relevante para mim.

Ler conteúdo completo
Indicados para você